Banner Superior

Autoestima: como conviver com nossa luz e nossa sombra?


Autoestima: como conviver com nossa luz e nossa sombra?

Em nosso cotidiano, nós mulheres desempenhamos inúmeros papéis, somos filhas, irmãs, mães, esposas, namoradas, profissionais, estudantes e gastamos muita energia tentando atingir a perfeição em todas essas funções que nos são atribuídas.

Quando não atingimos a perfeição, a culpa nos assola e começamos a questionar a nossa capacidade de ser boa ou ser suficiente para outrem. É aqui que a nossa autoestima começa a se abalar e não aceitamos mais quem somos.

As mudanças são muito importantes, elas representam metamorfoses em nossa vida, entretanto a autoaceitação é um passo igualmente importante para que consigamos conviver com quem realmente somos.

O que é autoestima?

A autoestima é o julgamento que fazemos de sobre nós mesmas. É o quanto você se aprecia, se gosta e se acha capaz.

Manter a autoestima alta não é uma tarefa tão simples, principalmente no mundo de hoje, onde comparamos constantemente a nossa grama com a do vizinho pelas redes sociais.

Para romper esse ciclo vicioso e alcançar a autoaceitação é importante entender que autoestima não é sobre competir com o outro e ser melhor que ele.

Ter uma autoestima elevada é sobre ser a melhor versão de si mesma, aceitando que somos humanos, imperfeitos e todos possuímos nossa luz e sombra, que são elementos que não podem existir sem o outro.

Sinais de que você está com a autoestima baixa:


  • Não confia em si mesma
  • Não aceita muito bem os elogios
  • Não lida bem com as críticas
  • Tem medo de ser rejeitada
  • Diz sim, mesmo quando quer dizer não
  • Experimenta sentimentos de incapacidade
  • Sempre se compara às outras pessoas
  • Pensa demais
  • Não aceita os próprios erros e atribui culpa a terceiros
  • Ansiedade e agitação emocional
  • Introspecção em excesso


O que provoca a baixa autoestima?

Muitos fatores podem desencadear a baixa da sua autoestima, por isso é importante desenvolver o autoconhecimento sobre a vida que você teve até agora e sobre as suas reações diante das situações.

Bases comportamentais

Em nossa infância temos as primeiras experiências, positivas e negativas e elas moldam quem seremos como adultos. Isso significa que nossas reações atuais tem origem em nossas experiências iniciais.

A base da autoestima é sobre o que você sentiu quando as pessoas ao seu redor se direcionaram a você. O que essas pessoas disseram e fizeram  e como isso reverberou em seu emocional?

Experiências que podem ocorrer na infância e provocar baixa autoestima


  • Ser intimidada, diminuída ou boicotada
  • Negligência
  • Falta de afeto 
  • Convivência com familiares preconceituosos
  • Castigos e normas em excesso

Como ter autoestima elevada?

Saber como melhorar a autoestima é uma busca constante, mas o que podemos adiantar é que não existe uma forma direta de alcançá-la, essa busca deve ser feita aos poucos e o foco deve estar no processo e não no resultado.

Construir uma autoestima elevada é como construir uma casa, ela é composta de diversos elementos, blocos, cimento, areia, madeira, ferro, vidros e etc. Esses elementos em conjunto formam uma bela casa, mas ainda assim de tempos em tempos ela precisará passar por manutenções.

O cuidado com a autoestima deve ser sempre uma pauta da sua agenda!

Se você se identificou com alguns sintomas de autoestima baixa, vou te dar algumas dicas para que você trabalhe na recuperação desse bem tão precioso.

O autoconhecimento é o caminho para se aceitar

Se conhecer, entender os seus pontos fracos e fortes é o primeiro passo para recuperar a autoestima.
Por vezes tentamos um mesmo objetivo, um relacionamento, uma ascensão profissional e não conseguimos obter êxito. Quando isso acontece focamos apenas na parte ruim e esquecemos de extrair o mais importante: conhecimento.
Não paramos para analisar nossas ações e entender o que nos colocou exatamente ali!

Ao praticar o autoconhecimento e entender os seus padrões negativos, você tem a oportunidade de se aceitar e a capacidade de se melhorar.

Você pode buscar técnicas e mecanismos de autoconhecimento em psicoterapia, terapias integrativas e holísticas, livros e etc.


Conselhos positivos genéricos podem não ser tão benéficos

“Você precisa se amar”, “você precisa se valorizar”, “você tem que ser mais confiante”, “você tem que pensar positivo”.

Quem nunca ouviu algo assim? Essas frases não trazem benefício algum para quem precisa recuperar a autoestima, na verdade podem trazer uma sensação de inadequação.

As palavras de autoestima podem sim ser benéficas, desde que elas tenham um propósito, mas em geral as pessoas, mesmo que bem intencionadas, não trarão esse efeito.

Você mesma pode usar palavras positivas com propósito e significado. 

Pense em algo bom que você fez e associe isso com uma frase positiva

Em vez de dizer “eu sou capaz”, diga “eu estudei durante 4 anos na minha área de atuação, tive boas notas, tenho um excelente conhecimento e sou capaz de passar nessa entrevista de emprego”.

Troque “eu me valorizo” por “sou uma mulher inteligente gosto de  (filmes, séries, danças, viagens, músicas e etc), gosto de conversar sobre (assuntos variados) e por isso eu me valorizo como uma boa companhia para o jantar de hoje a noite”.

Esses são apenas exemplos, basta adaptar para sua realidade! Essas frases trazem uma razão verdadeira relacionada a sua vida, essa razão por sua vez nutre a afirmação positiva e fortalece suas convicções de forma mais efetiva e palpável

A força do autoelogio 

Muitas vezes quando a nossa autoestima está baixa ficamos em busca de aprovação das pessoas próximas e nem sempre isso acontece, o que afeta de forma mais intensa o nosso estado.

Essa é a razão da importância de sermos capazes de “abastecer a nós mesmos” com nossas próprias aprovações. Claro, tudo sempre de forma equilibrada!

Aqui também vale a premissa do propósito, não basta apenas dizer uma frase de aprovação, é necessário associar essa frase a um motivo. Não importa qual!

Mesmo que sejam pequenas, celebre as vitórias!

Veja só um exemplo:

“Me sinto orgulhosa de mim, pois hoje consegui ter um almoço saudável”.
“Me sinto forte, pois ontem consegui dizer não às tarefas da minha colega folgada”.

Viu só como é fácil!?

O processo de recuperar a autoestima pode não ser tão rápido quanto você gostaria, mas as mudanças gradativas são aquelas que permanecem!

Lembre-se: Foque no processo!



Postar um comentário

0 Comentários